Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

28
Jan17

As crianças dão-nos 10 a 0 em tanta coisa.

Joana

Uma aluna minha, com os seus 10 anos feitos há dias, perante a constatação de que não percebia uma matéria muito específica, que exigia tempo de explicação (que eu não tinha) e bastante de prática, entrou em total modo de ansiedade, que quase começou a chorar de desespero, apesar de ter tentado disfarçar perante dois colegas com quem estava a estudar. A causa é o ser exigente demais consigo mesma e de não querer nunca tirar más notas. Por mais que a tenha tentado fazer perceber que não podemos sempre ser brilhantes ou exigir de nós mesmos o que não é possível, se não há espaço temporal para isso, ela despediu-se de mim com o semblante mais pesado do mundo, como se tudo estivesse perdido. Pedi, entretanto, a uma colega que me arranjasse alguns apontamentos que explicassem da melhor forma, dentro do que é possível, a matéria e reencaminhei-as para a aluna, para que desse uma vista de olhos e se sentisse mais segura para o dia seguinte.

Regressei a casa com alguma tristeza, por não ter conseguido tempo para a ajudar, mas tentei relativizar e pensar que tínhamos feito o melhor por ela, dadas as condicionantes de tempo.

No dia seguinte, estava já a aluna instalada a estudar, chega um dos colegas que estava com ela no dia anterior e que tinha assistido ao seu desespero. Ele, que está um nível escolar à frente dela, tira um caderno e um livro da mochila e diz-lhe:

 

- Toma, L., trouxe o meu caderno e o meu livro do ano passado para te ajudar a estudar a matéria em que sentiste dificuldade. Tens aí exercícios resolvidos e as explicações todas tim-tim por tim-tim.

 

Fiquei embevecida (quase emocionada) com a atitude  e elogiei muito o rapaz e a iniciativa totalmente espontânea de ajudar a amiga. Dela recebeu um enorme "Obrigada!", um passou-bem em tom de brincadeira e um "És tão prestável... És mesmo um bom amigo, J!".

 

Digam-me se nós não aprendemos com as crianças. Pode até correr tudo mal, mas depois, do nada, surgem estas lições. Andamos neste mundo a pensar que sabemos tudo e, às vezes, nao percebemos é nada disto. Eu recebo sempre qualquer coisa destes miúdos, todos os dias. Dão-me muito cabo da paciência e 90% dos meus (muito poucos) cabelos brancos devem-se a eles, mas... adoro-os e aprendo muito com eles! E fico mesmo um pouco mais rica todos os dias por isso.

 

 

Eu.

foto do autor

Instagramem-me!

@joaninha_me