Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

23
Out17

As vozes dissonantes.

Joana

Tudo o que aconteceu a semana passada foi demasiado forte e grave e quero acreditar que só mesmo quem não está mentalmente são ou quem perpretou estes crimes possa não se deixar mover por tudo o que foi dito, mostrado e conhecido sobre os malditos incêndios. Quero assumir que, como seres humanos, nos sentimos identificados e fortemente unidos na procura de uma solução comum ou, pelo menos, na promoção de ajuda solidária para auxiliar, no imediato, a apaziguar as dores e as perdas de todas as vítimas. No entanto, e contra tudo em que acredito, tenho-me apercebido que há inúmeras vozes dissonantes neste meio de pessoas que preferem criticar ininterruptamente tudo e todos que lhes aparecem à frente - de políticos a voluntários e até- como é possível! - de vítimas. Isto revolta-me muito e deixa-me muito desacreditada da humanidade, de facto.

 

Detesto pessoas amargas. Pessoas que só sabem apontar o dedo, que acham que uma coisa boa não chega e que é sempre preciso mais. Pessoas que desconfiam de tudo e todos, que não agem ao invés de criticar e que estão formatadas para o "agora é assim, mas vamos lá ver como será quando...". Pessoas que nunca estão bem com o que os outros fazem e que são treinadores de bancada a cantar de galo, sem fazerem nada de jeito que prove poderem estar certas em alguma coisa que dizem. Detesto a descrença na humanidade e o azedume de quem não se presta a fazer o mínimo sacrifício por quem mais precisa. Detesto e não tenho paciência para gente assim.

 

Talvez não fosse má ideia que estas pessoas que não ajudam de forma alguma se aprendessem a calar, quando devem. Isso seria, talvez, a sua grande e melhor forma de ajudar.

 

 

 

 

2 comentários

Comentar post

Eu.

foto do autor

Instagramem-me!

@joaninha_me