Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

19
Mar17

Dia do Pai? Sim, se faz favor!

Joana

Eu sempre dei muito valor ao Dia do Pai e da Mãe. Não sou nada radical e, por isso, não me enquadro naquela nova moda de que todos os dias são do pai e da mãe e não é preciso haver um dia especial para nos lembrarmos deles. Ok, respeito a opinião dos outros, mas, na minha, isto não faz sentido. Segundo essa lógica, eu também não celebraria aniversários, Natais ou datas especiais, coisa que, claramente, não faz parte de mim. Eu gosto de celebrar a vida e acho que, havendo datas particulares para cada pessoa, elas devem ser aproveitadas como o pretexto ideal para reforçar o amor, carinho e respeito que por eles sentimos.

[Sim, eu sou caranguejo, esta é a minha natureza e não há nada a fazer quanto a isto.]

 

Hoje celebra-se o Dia do Pai. O meu, que está a uns cento e tal quilómetros de mim neste dia, não deixou de receber o miminho que sempre lhe dei e dou todos os anos. Não contava com ele (ou contava?) e recebeu-o por correio. Consegui ser, mais uma vez, original. O meu pai ficou "inchado como um perú", segundo a minha mãe, tal foi a alegria pelo carinho recebido. Percebi, pela atrapalhação ao telefone, que não cabia em si de contente, apesar de as palavras serem algo contidas e mais ou menos objetivas (se eu não te conhecesse tão bem, pai...). A minha mãe disse que se riram até às lágrimas com algumas coisas que escrevi e que estavam mesmo muito felizes por me ter como filha.

Fiquei - mais uma vez - com a certeza inabalável de que este é um amor único, que nunca será suplantado e que se estenderá por muito mais tempo que um qualquer limite que a vida nos queira impor. E fiquei feliz - muito! - por ver reforçado o que ouço todos os dias da minha vida: que os orgulho e que eu sou, para eles, o maior amor e valor das suas vidas.

 

 

Amor, partilha e reconhecimento.

Se isto não é o suficiente para celebrar o Dia do Pai, não sei o que o será.

 

 

1 comentário

Comentar post

Eu.

foto do autor

Instagramem-me!

@joaninha_me