Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

13 de Março, 2013

Eu ando com tendências para a publicidade, não tenho culpa.

Joana
Diz o J. e com muita razão que o anúncio da Coca Cola Zero - aquele do rapaz que aparece a falar na tela de cinema e surpreende o público que quer é assistir ao filme e não ver um palerma a explicar-lhes como foram enganados - está mesmo mal feitinho. Primeiro, porque as pessoas dariam sempre conta que um copo estava dentro de outro (partindo do princípio de que as pessoas pensam); segundo, porque fica toda a gente surpreendida e feliz por ter sido enganada ao pagar a embalagem grande de Cola e só ter direito à média; e terceiro, porque batem palmas por não estarem a beber o que pediram, mas sim o que outros quiseram que bebessem (mas a pagar).
Sim senhor. 
Palminhas para o senhor que teve esta brilhante ideia. E para o Sr. Notário, que teve de assistir a esta cena de "vamos lá tomar estes por parvos e ainda fazê-los acreditar que o resultado é uma coisa boa", quando podia estar em casa com a família, frente à televisão, a beber um bom vinho e a comer umas belas pataniscas.
Ai publicidade, publicidade. Cada vez melhor.

(Ah e... a Coca Cola Zero é mais uma fraude, by the way.)


13 de Março, 2013

Eu ando com tendências para a publicidade, não tenho culpa.

Joana
Diz o J. e com muita razão que o anúncio da Coca Cola Zero - aquele do rapaz que aparece a falar na tela de cinema e surpreende o público que quer é assistir ao filme e não ver um palerma a explicar-lhes como foram enganados - está mesmo mal feitinho. Primeiro, porque as pessoas dariam sempre conta que um copo estava dentro de outro (partindo do princípio de que as pessoas pensam); segundo, porque fica toda a gente surpreendida e feliz por ter sido enganada ao pagar a embalagem grande de Cola e só ter direito à média; e terceiro, porque batem palmas por não estarem a beber o que pediram, mas sim o que outros quiseram que bebessem (mas a pagar).
Sim senhor. 
Palminhas para o senhor que teve esta brilhante ideia. E para o Sr. Notário, que teve de assistir a esta cena de "vamos lá tomar estes por parvos e ainda fazê-los acreditar que o resultado é uma coisa boa", quando podia estar em casa com a família, frente à televisão, a beber um bom vinho e a comer umas belas pataniscas.
Ai publicidade, publicidade. Cada vez melhor.

(Ah e... a Coca Cola Zero é mais uma fraude, by the way.)


12 de Março, 2013

Vejam-me e digam-me.

Joana
O que é que consegue ser mais estúpido no novo anúncio do Danone Grego de Maracujá?

- O facto de uma senhora estar a comer um iogurte grego no aeroporto?
- O facto de a hospedeira saber pela cara quem é a pessoa que falta no avião (deve ter uma rica fama, deve...)?
- O facto de o comandante parar o avião por causa de um iogurte?
- O facto de o avião ter marcha atrás?
- Ou o facto de o avião apitar quando faz marcha atrás?

Se me conseguirem encontrar neste anúncio alguma coisa - mesmo que ínfima - que se assemelhe com um pequenino, mínimo, insignificante aspecto da realidade, avisem-me, pf. É que há muito tempo que não via uma coisa tão ridícula na televisão.




12 de Março, 2013

Vejam-me e digam-me.

Joana
O que é que consegue ser mais estúpido no novo anúncio do Danone Grego de Maracujá?

- O facto de uma senhora estar a comer um iogurte grego no aeroporto?
- O facto de a hospedeira saber pela cara quem é a pessoa que falta no avião (deve ter uma rica fama, deve...)?
- O facto de o comandante parar o avião por causa de um iogurte?
- O facto de o avião ter marcha atrás?
- Ou o facto de o avião apitar quando faz marcha atrás?

Se me conseguirem encontrar neste anúncio alguma coisa - mesmo que ínfima - que se assemelhe com um pequenino, mínimo, insignificante aspecto da realidade, avisem-me, pf. É que há muito tempo que não via uma coisa tão ridícula na televisão.




11 de Março, 2013

A vida a dar uma lição.

Joana
Não é só o tempo. A vida - ela mesma - às vezes é demasiado bipolar.
No mesmo dia, num espaço de 30 minutos, vivi a alegria esfuziante de uma grande amiga que esperava ansiosamente no aeroporto da capital a chegada do seu amor distante e quase impossível e a tristeza de saber um diagnóstico de doença de uma pessoa que constitui uma grande força motora para todos os que com ela trabalham e que é demasiado jovem para ser ser "brindada" com essa notícia.
...
Nem sei o que dizer. É isto.
...
11 de Março, 2013

A vida a dar uma lição.

Joana
Não é só o tempo. A vida - ela mesma - às vezes é demasiado bipolar.
No mesmo dia, num espaço de 30 minutos, vivi a alegria esfuziante de uma grande amiga que esperava ansiosamente no aeroporto da capital a chegada do seu amor distante e quase impossível e a tristeza de saber um diagnóstico de doença de uma pessoa que constitui uma grande força motora para todos os que com ela trabalham e que é demasiado jovem para ser ser "brindada" com essa notícia.
...
Nem sei o que dizer. É isto.
...
11 de Março, 2013

Estás a brincar connosco, S. Pedro, não estás?

Joana
Se vejo pela janela que está a chover, pego no guarda chuva, desço as escadas do prédio, chego cá fora e já está sol.
Se vejo pela janela que está sol, desço as escadas do prédio, chego cá fora e começa a chover.

Visto uma camisola mais fina porque as temperaturas estão amenas, chego cá fora e o vento faz-me voltar a casa e vestir uma coisa mais "aconchegada".
Saio de casa com uma camisola mais "aconchegada", para de estar vento e o sol faz-me ter um calor insuportável. 

Chego ao meu local de trabalho. 

Estou perto dos interruptores, vejo que está sol, começo a andar na direção da minha secretária e preparo-me para começar a trabalhar com luz natural.
Sento-me para começar a trabalhar, já estou longe dos interruptores, e fica uma escuridão incrível no espaço. 

Estão a gozar comigo?! QUE NERVOS!


Agora estou com a luz acesa e um sol forte a bater. Tenho a certeza que, mal clique ali no botão de publicação deste post, vai ficar repentinamente escuro e já ninguém vai olhar para mim como uma tolinha a trabalhar com luz artificial quando o sol brilha lá fora. E agora que falo nisto... it's hapenning...



11 de Março, 2013

Estás a brincar connosco, S. Pedro, não estás?

Joana
Se vejo pela janela que está a chover, pego no guarda chuva, desço as escadas do prédio, chego cá fora e já está sol.
Se vejo pela janela que está sol, desço as escadas do prédio, chego cá fora e começa a chover.

Visto uma camisola mais fina porque as temperaturas estão amenas, chego cá fora e o vento faz-me voltar a casa e vestir uma coisa mais "aconchegada".
Saio de casa com uma camisola mais "aconchegada", para de estar vento e o sol faz-me ter um calor insuportável. 

Chego ao meu local de trabalho. 

Estou perto dos interruptores, vejo que está sol, começo a andar na direção da minha secretária e preparo-me para começar a trabalhar com luz natural.
Sento-me para começar a trabalhar, já estou longe dos interruptores, e fica uma escuridão incrível no espaço. 

Estão a gozar comigo?! QUE NERVOS!


Agora estou com a luz acesa e um sol forte a bater. Tenho a certeza que, mal clique ali no botão de publicação deste post, vai ficar repentinamente escuro e já ninguém vai olhar para mim como uma tolinha a trabalhar com luz artificial quando o sol brilha lá fora. E agora que falo nisto... it's hapenning...