Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

06 de Maio, 2013

Alerta, Alerta! Post de gaja! #3

Joana
Ora vamos lá a mais uma opinião sobre um produto de beleza. Hoje falo-vos da minha experiência com o BB Cream da Nivea.

Eu sou suspeita, porque desde sempre gostei muito dos produtos da Nivea e acho que bate em muitos pontos outras marcas que se dizem superiores. Sou fiel, mas há produtos que reconheço não serem os melhores (por exemplo, champôs).
Como sou um pouco avessa a bases, que me dão sempre a sensação de máscara que impede a pele de respirar e - por muito que alguns considerem insignificante - me tapam as minhas queridas e adoradas sardas que só aparecem com o sol, optava por, muitos dias, não usar qualquer produto desses, apesar de sentir necessidade de aplicar alguma coisa para além do creme hidratante. Mesmo as bases mais leves não cumpriam os meus requisitos, pelo que foi essa a opção a tomar. E depois chegou o BB Cream, novidade que não me convenceu nada de início, devo dizer. Achava que era mais uma mariquice das marcas, para venderem mais do mesmo. No entanto, e por acreditar na Nivea e gostar dos cremes da marca (de que ainda falarei em posts futuros), resolvi experimentar e... voilá - encontrei o meu novo melhor amigo!

(clicando aqui serão redirecionados(as) para o site oficial do produto)

Este creme é muito leve e parece milagroso. Parece que tapa as imperfeições e deixa a descoberto tudo o que interessa estar a descoberto (refiro-me às sardas, senhores, às sardas!). Deixa a pele respirar e, sobretudo, dá-lhe um leve tom saudável, sem acumular nas pequenas linhas de expressão. E, melhor que tudo - e olhem que eu não sou NADA de dizer que é ótimo, se não for mesmo - parece que passamos para a melhor fase do mês, com a pele lisinha e sem defeitos. Portanto, e como já se pode perceber, conquistou-me. O facto de ter um preço acessível também me levou a querer experimentar e foi o melhor que fiz (Se calhar as marcas deviam pensar mais neste aspeto). O preço é de 7,99 Euros e vende-se nos hipermercados e em alguns supermercados. Recomendo (se é que sou alguém de jeito para recomendar estas coisas).


06 de Maio, 2013

Alerta, Alerta! Post de gaja! #3

Joana
Ora vamos lá a mais uma opinião sobre um produto de beleza. Hoje falo-vos da minha experiência com o BB Cream da Nivea.

Eu sou suspeita, porque desde sempre gostei muito dos produtos da Nivea e acho que bate em muitos pontos outras marcas que se dizem superiores. Sou fiel, mas há produtos que reconheço não serem os melhores (por exemplo, champôs).
Como sou um pouco avessa a bases, que me dão sempre a sensação de máscara que impede a pele de respirar e - por muito que alguns considerem insignificante - me tapam as minhas queridas e adoradas sardas que só aparecem com o sol, optava por, muitos dias, não usar qualquer produto desses, apesar de sentir necessidade de aplicar alguma coisa para além do creme hidratante. Mesmo as bases mais leves não cumpriam os meus requisitos, pelo que foi essa a opção a tomar. E depois chegou o BB Cream, novidade que não me convenceu nada de início, devo dizer. Achava que era mais uma mariquice das marcas, para venderem mais do mesmo. No entanto, e por acreditar na Nivea e gostar dos cremes da marca (de que ainda falarei em posts futuros), resolvi experimentar e... voilá - encontrei o meu novo melhor amigo!

(clicando aqui serão redirecionados(as) para o site oficial do produto)

Este creme é muito leve e parece milagroso. Parece que tapa as imperfeições e deixa a descoberto tudo o que interessa estar a descoberto (refiro-me às sardas, senhores, às sardas!). Deixa a pele respirar e, sobretudo, dá-lhe um leve tom saudável, sem acumular nas pequenas linhas de expressão. E, melhor que tudo - e olhem que eu não sou NADA de dizer que é ótimo, se não for mesmo - parece que passamos para a melhor fase do mês, com a pele lisinha e sem defeitos. Portanto, e como já se pode perceber, conquistou-me. O facto de ter um preço acessível também me levou a querer experimentar e foi o melhor que fiz (Se calhar as marcas deviam pensar mais neste aspeto). O preço é de 7,99 Euros e vende-se nos hipermercados e em alguns supermercados. Recomendo (se é que sou alguém de jeito para recomendar estas coisas).


03 de Maio, 2013

O outro lado da vida.

Joana
Enquanto anda todo o português centrado na vitória do Benfica, na chachada do leilão da DECO (valha-me sempre o meu ceticismo), nas SWAP e no que o Cavaco vai dizer logo à noite, eu, desde que vi há pouco uma reportagem no Jornal da tarde, não consigo sequer pensar em mais nada para além do quão injusta a vida, por vezes, é.

A notícia é esta. Na Somália morreram num ano e meio 258 mil (duzentas e cinquenta e oito MIL) pessoas com fome. Mais de metade eram crianças com menos de cinco anos de idade. E andamos nós para aqui a queixarmo-nos da nossa santa vida, da nossa paz, das nossas ajudas. Olhemos à nossa volta. Se isto não relativiza tudo o que nós dizemos que andamos a sofrer, então não sei bem o que o conseguirá fazer.

[Como é possível um país limitar a entrada de ajuda humanitária aos seus? Às suas pessoas, àqueles que serão (seriam?) o seu futuro? Como é possível que haja qualquer tipo de interesse que tenha em vista este cenário? Como é que isto ainda existe no nosso mundo? Como?!]

03 de Maio, 2013

O outro lado da vida.

Joana
Enquanto anda todo o português centrado na vitória do Benfica, na chachada do leilão da DECO (valha-me sempre o meu ceticismo), nas SWAP e no que o Cavaco vai dizer logo à noite, eu, desde que vi há pouco uma reportagem no Jornal da tarde, não consigo sequer pensar em mais nada para além do quão injusta a vida, por vezes, é.

A notícia é esta. Na Somália morreram num ano e meio 258 mil (duzentas e cinquenta e oito MIL) pessoas com fome. Mais de metade eram crianças com menos de cinco anos de idade. E andamos nós para aqui a queixarmo-nos da nossa santa vida, da nossa paz, das nossas ajudas. Olhemos à nossa volta. Se isto não relativiza tudo o que nós dizemos que andamos a sofrer, então não sei bem o que o conseguirá fazer.

[Como é possível um país limitar a entrada de ajuda humanitária aos seus? Às suas pessoas, àqueles que serão (seriam?) o seu futuro? Como é possível que haja qualquer tipo de interesse que tenha em vista este cenário? Como é que isto ainda existe no nosso mundo? Como?!]

02 de Maio, 2013

Coisas que me enervam - 1

Joana
Pessoas que, somente para atualizar cadernetas, ocupam uma caixa multibanco (pior ainda, se for uma das mais procuradas por permitir mais tipos de operações) quando têm um "Atualizador de Cadernetas" mesmo ali ao lado. Só de ver alguém a colocar lá a caderneta e depois a recolhê-la (isto quando a máquina não exige que seja a própria pessoa a virar as páginas) ao fim de não sei quantos minutos, sem efetuar mais nenhuma operação, enquanto sou brindada com aquele barulho estridente da impressão de agulhas, é coisa para me tirar do sério. Entro mesmo em desespero com tamanha burrice e desconsideração pelos outros.


02 de Maio, 2013

Coisas que me enervam - 1

Joana
Pessoas que, somente para atualizar cadernetas, ocupam uma caixa multibanco (pior ainda, se for uma das mais procuradas por permitir mais tipos de operações) quando têm um "Atualizador de Cadernetas" mesmo ali ao lado. Só de ver alguém a colocar lá a caderneta e depois a recolhê-la (isto quando a máquina não exige que seja a própria pessoa a virar as páginas) ao fim de não sei quantos minutos, sem efetuar mais nenhuma operação, enquanto sou brindada com aquele barulho estridente da impressão de agulhas, é coisa para me tirar do sério. Entro mesmo em desespero com tamanha burrice e desconsideração pelos outros.


02 de Maio, 2013

Sabrinas para mim só se for a do "Boys, Boys, Boys" ou a aprendiz de feiticeira.

Joana
Eu não fui feita para sabrinas. Não sei porquê, mas embirro com este tipo de calçado. Se for com calças, gosto. Mas se for com vestidos ou saias, esqueçam. Acho que aquilo "atarraca" completamente uma mulher, mesmo a mais elegante. Eu sou alta e magra e detesto ver-me com vestidinhos ou saias e umas sabrinas. Parece que, de repente, se perde todo (se é que existe algum) encanto. Mudo para uns sapatinhos de tacão ou para umas botas do mais simples que há e todo um novo mundo se apresenta diante mim.
E pronto, gostava que fosse diferente, mas não é. Sabrinas e perninhas ao léu cá na opinião da esquisitinha de serviço... naaaa.


02 de Maio, 2013

Sabrinas para mim só se for a do "Boys, Boys, Boys" ou a aprendiz de feiticeira.

Joana
Eu não fui feita para sabrinas. Não sei porquê, mas embirro com este tipo de calçado. Se for com calças, gosto. Mas se for com vestidos ou saias, esqueçam. Acho que aquilo "atarraca" completamente uma mulher, mesmo a mais elegante. Eu sou alta e magra e detesto ver-me com vestidinhos ou saias e umas sabrinas. Parece que, de repente, se perde todo (se é que existe algum) encanto. Mudo para uns sapatinhos de tacão ou para umas botas do mais simples que há e todo um novo mundo se apresenta diante mim.
E pronto, gostava que fosse diferente, mas não é. Sabrinas e perninhas ao léu cá na opinião da esquisitinha de serviço... naaaa.


Pág. 5/5