Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

05 de Novembro, 2016

E, sem grandes planos, decidimos ir às castanhas.

Joana

E que boa ideia foi! Um dia como há muito estávamos a precisar! Recomendo a todos esta pequena terapia. Tirando os picos, é do melhor que há. E se estiver frio então (por mais estranho que pareça, sobretudo vindo de mim, presidente da Associação Nacional de Friorentos), melhor! Experimentem!

 

 

E a estranha satisfação de apanhar um ouriço com seis ou sete castanhas gordas e ficar de sorriso aberto por isso? E a competição entre quem apanhou mais e mais gordas? E o convívio entre todos? E, sobretudo, a satisfação de as trazer diretamente da árvore para o fogão a lenha? Impagável!

 

04 de Novembro, 2016

Menos entusiasmo, por favor. Menos.

Joana

Se há coisa de que nunca gostei são ambientes em que tudo é demasiado "festa", "alegria" e mimimis. Passo a explicar. Estão a ver aqueles encontros de pessoas que estão juntas todos os dias e depois marcam um evento qualquer em que tudo é alegria e excitação e parece que não se veem há anos? Basicamente, é disto que estou a falar.

Vem isto a propósito de andar à procura de um ginásio e de me ter confrontado, nessa busca, com um ginásio feminino (já estava a pedi-las, eu sei...) em que tudo é alegria, pompons e borboletas. Todas as pessoas são hiper amigas umas das outras, fazem exercício sempre de sorriso na cara, adoram se o professor é homem, convivem entre si, fora do ambiente do ginásio, numa base semanal, fazem festas esporadicamente para festejar todos os aniversários e coisas afins. É precisamente no momento em que me apercebo deste perfil de aulas que me "desligo" dessa possibilidade. Eu respeito quem gosta destas coisas e se diverte, mas definitivamente isto não é para mim. O pior é que me começo a aperceber que este tipo de conceito vinga por quase todo o lado e é difícil encontrar alternativas que envolvam algumas modalidades genericamente do maior agrado do público feminino que não contemplem balões e cartazes à porta dos ginásios. Para mim, a coisa tem de ser bem mais calma e menos pomposa.

 

Nunca gostei de ambientes deste tipo, assim como nunca gostei - nem gosto - de exageros, seja no que for. A piorar a situação, cada vez sinto que estou mais séria e exigente e isso, nesta busca em particular, não abona muito a meu favor. Acho que não vai ser fácil, mas vou continuar. Vou tentar também "baixar a guarda" e ponderar novas possibilidades, porque não quero deixar de ser quem sou, nem tornar-me numa velhota rezingona com tudo o que mexe. Vou procurar um ginásio e, desde que não tenha balões à porta, vou-lhe dar o benefício da dúvida.

 

 

03 de Novembro, 2016

Reboot.

Joana

Tu trabalhas. Mais: tu esfolas-te a trabalhar. Tu andas de um lado para o outro a tratar de tudo. Tu não falhas em nada. Tu comprometes as tuas horas de pausa e descanso, para garantir que tudo fica a correr bem. Tu não te alimentas tão bem assim. Tu não paras. Tu estás de rastos. Tu vais a um advogado, na esperança de boas notícias. O advogado é simpático e tu animas. Tu ficas confiante. Tu despedes-te dele e acertas contas. Ele "tira-te", sem grandes rodeios, umas boas dezenas de notas do teu bolso. Tu repensas todo o teu dia. Tu desanimas. Tu tens uma noite para esquecer. Tu reinicias o sistema e procuras no mais fundo de ti algum ânimo e o teu melhor sorriso. Tu arrancas para mais um dia.

 

 

Pág. 2/2