Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

23 de Junho, 2015

A minha experiência no Grupo Trofa Saúde.

Joana

Quando, há tempos, caí e desloquei alguns músculos do braço e, com isso, fiquei bastante incapacitada, durante umas semanas, à conta de dores e inchaços vários na área o cotovelo, fui ao Hospital da Boa Nova, em Perafita, às urgências. Este hispital é privado e pertence ao Grupo Trofa Saúde. Podia ter ido ao São João, mas decidi não ir, pois não aguentaria horas à espera, tais eram as dores. (Sei que foi um momento de chiqueza, mas foi em desespero.) Na receção do hospital, não primou a simpatia. As funcionárias comunicavam entre si em sussurro, mesmo em frente aos pacientes, e falavam connosco sem sequer olharem para nós. Em termos de tratamento médico, não me posso queixar. O médico que me atendeu nas urgências de Fisiatria/Ortopedia foi muito calmo, bem disposto q.b., delicado e atencioso. Mandou logo encher-me as veias com analgésicos e afins, mas lá que me comecei a sentir melhor, comecei. Os enfermeiros foram igualmente atenciosos e cuidadosos e só me incomodou o facto de eu ter dito, várias vezes, a um deles que o braço magoado e que eu mal mexia era o direito e ele, quando tirou a agulha do meu braço esquerdo, me ter dito para comprimir a gaze. Como poderia comprimir, se não tinha mais braços? Tentei explicar-lhe duas vezes, mas ele não ouviu e lá foi o J. pressionar a gaze. Tirando isso, tudo ok. Raios-X para um lado, receita e dicas de fisioterapia caseiras, conselhos e o desejado ""Daqui a 3-4 dias isso já passou". Tirando a passagem final pela receção, parca em simpatia e contacto visual, tudo correu bem a partir daí.

Quer dizer, correu bem, com a exceção dos tais "3-4 dias", que se veio a provar serem uma metáfora para "um mesito ou dois". De facto, passado um mês da queda, a coisa já estava bem melhor, mas ainda com mazelas. Decidi, por isso, ir ao Hospital da Maia, também do Grupo Trofa Saúde, a uma consulta de Fisiatria. Chegado o dia, fui bastante mal atendida pela médica que me calhou na rifa: nova, mas (ou por isso) muito empertigada, muito vaidosa, só olhava para o computador e teclava com tanta força que parecia que lhe ia saltar uma unha. Passava pouco das 20h e isso também não ajudou, que nesse dia devia ir dar algum concurso tipo "Miss Universo" e ela não poderia perder. Não bastasse tudo isto e o facto de pouco ter olhado para mim ou para o meu braço e de me ter logo encaminhado para uma ressonância magnética (incha palhaça!), ainda se despediu de mim com um valente "passou-bem", o que é sempre extremamente correto, sensato e profissional, quando, perante si, tem um doente com o braço direito em apuros e sem certeza de algo estar fraturado ou não.

À saída, pessoas mal dispostas na receção, de novo, a Fernanda Ribeiro, maratonista, a pedir ajuda para auxiliarem uma miúda que tinha deslocado algo na perna/pé e as respostas sempre tão profissionais das rececionistas: "Fechamos agora às 21h e não temos urgência de Ortopedia. Vá a Alfena ou a Perafita" (O que é sempre bom, fácil e prático, quando se está a acompanhar uma pessoa que não consegue andar, nem aguentar grandes dores, como era o caso da miúda).

Sinceramente, até agora, só gostei q.b. do médico que nos atendeu nas Urgências de Perafita e do serviço de enfermagem deste hospital. De resto, tudo nota negativa. Até ver, não recomendo. Mas a minha opinião vale o que vale. Posso ter sido uma num milhão, mas em mim dificilmente terão uma paciente. E ainda dizemos mal do hospital público... Sim, sim, queixemo-nos.

 

 

2 comentários

Comentar post