Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

25
Mai15

Batam palmas a esta excelente profissional!

Joana

Uma professora minha ficou incontactável na quarta feira passada. Tinha aulas agendadas para sábado, mas que estavam ainda sujeitas a confirmação definitiva por parte dela. Na quinta feira, envio mensagem a solicitar essa confirmação. Nada. Sexta feira de manhã, nova mensagem. Nada. Até à noite de sexta feira, fiz seis chamadas para ela, sem obter qualquer resposta. À noite, cerca das 22h30, envia uma mensagem a dizer que esteve todo o dia no hospital e que não tinha tido acesso ao telemóvel naquele dia. E no dia anterior, o que se teria passado? Desconfiei, mas tentei ignorar. Adicionalmente, disse-me que no dia seguinte, sábado, afinal já não ia poder, mas que me ligaria logo de manhã. Desmarquei as aulas com as alunas agendadas para sábado e aguardei a chamada da professora. Como não tinha percebido se a questão de saúde era com ela, com a filha bebé ou com algum familiar, não quis insistir e tentei dar algum espaço. Pois. Nem sábado, nem domingo me disse o que quer que fosse. Hoje de manhã, enviei nova mensagem (porque estava sempre em aulas e não podia estar com grandes conversas nos intervalos) a pedir uma resposta no máximo até ao final da manhã. Nada, mais uma vez. Cerca das 13h30, minha pausa de almoço, liguei e não atendeu. Cinco segundos depois entra uma nova mensagem com este brilhante texto: "Desculpe não ter dito nada, mas foi um fim de semana complicado. Não consigo garantir disponibilidade, por favor encontre outra pessoa para o meu lugar."

 

Não sei se as pessoas percebem isto, mas aconteça o que acontecer, há que ter a responsabilidade de avisar os outros e de, com isso, mostrar a mínima consideração por aqueles para quem trabalham. Nem que me tivesse acontecido a maior tragédia, eu nunca deixaria de ligar ou pedir a alguém próximo para ligar e dar uma palavra que fosse, apenas por respeito e por saber que haveria quem estivesse dependente de mim. Eu estou tão, mas tão chateada!... Como é possível alguém sentir-se bem com a sua consciência, sabendo que deixou na mão alunos, a três dias de testes e a quatro semanas de exame? Como é possível mentir e nem sequer pensar nos outros? Que valores são estes? Como é possível tamanha irresponsabilidade?

 

Estou capaz de lhe dar um par de chapadas se me aparecer à frente, mas não o fazendo, é bom que não me ligue, pois as palavras que me irão sair pela boca não vão ser nada, mas nada católicas. Estou a ferver!

 

 (Digam-se sinceramente: são estas as pessoas que merecem trabalhar?)

 

3 comentários

Comentar post