Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

22
Jul18

Bora lá pôr todos os bons festivais no mesmo fim de semana?

Joana

Esta deve ter sido a espetacular proposta que passou pelas mentes brilhantes (e claramente febris!) dos organizadores de festivais deste nosso pequeno e caro país.

 

"- Temos cerca de 50 artistas internacionais que aceitaram vir a Portugal.

- Boa! Em que datas?

- Todos na mesma data. Eles querem aproveitar os preços de grupo nas viagens e restaurantes.

- Espetacular! Assim também despachamos logo isto e podemos ir de férias, quando toda a gente for trabalhar."

 

[Só pode ter sido (por) isto, certo?]

 

 

Este nosso pequeno país, aparentemente, é também pequeno em datas, porque só nestes últimos dias, no mesmo território, houve cerca de 37 festivais a acontecer ao mesmo tempo. Isto até seria relativamente aceitável, porque há muita cidade e muita gente a ter e a precisar de festa, pelo que haveria oferta para todos. O problema está no facto de, só na área do Porto, ter havido, pelo que sei, uns 5 festivais no mesmo fim de semana, dos quais destaco o Tributo a Nelson Mandela e o Márés Vivas. Já nem vou falar de outros, pelo país, nem do facto do EDP Cool Jazz e do Super Bock Super Rock terem sido, também, agendados para o mesmo fim de semana. Ontem estive a apreciar o tempo que um Telejornal dedicou a falar de vários festivais que estão a decorrer nestes dias. Foram mais de 10 minutos. E não se falaram de dezenas de outros, estou certa.

 

Para mim, marcarem-se tantas festas e festivais (sem serem locais, claro está!) nos mesmos dias é, simplesmente uma falta de respeito pelo público e denota claramente o que move os organizadores. Descobriu-se aqui uma mina de ouro e ala moleiro, o público que se desenrasque. Eu não sou muito fã de festivais e ambientes semelhantes a esses, confesso. Sou mais caseira e não me sinto muito bem a estar horas em pé a ver vários concertos de vários artistas, tudo em filinha indiana. Sou moça de pagar bilhete e ver um concerto do início ao fim do mesmo artista. Coisas minhas. Mas, de facto, acho que havia de haver aqui uma maior consideração pelo público. E não me venham com a treta do "eclético", que não há pachorra para isso. Pode ser eclético na mesma e cada um dos grandes festivais acontecer num fim de semana diferente, não pode?

 

Surge este desabafo na sequência de termos ido ver, na sexta feira passada, o Tributo a Nelson Mandela. O cartaz era relativamente fraquinho, mas demos uma oportunidade. Primeiro ponto: o Festival decorreu em três dias, de quarta a sexta feira, e começou sempre às 16h30, o que é ótimo para quem trabalha e por si só denota o imenso respeito da organização pelo público. Segundo ponto: os artistas pouca ou nenhuma referência fizeram a Mandela ou à sua história de vida, preferindo atuar rapidinho, que aparentemente não ganharam dinheiro com isso (cof, cof) e estava uma noite gelada como tudo; Terceiro ponto: aquilo que eles chamavam de "cabeça de cartaz", Steven Tyler, revelou ser, sim, uma grande cabeça (no sentido da proporção), mas infelizmente cheia de droga a correr-lhe nas veias. Foi tudo, portanto, um valente flop e a prova disso foi a velocidade a que o públco saiu do recinto, mal o concerto/festival acabou. Nunca vi tal. À saída, ouvi ainda um rapaz a dizer que, naquela sexta feira, estava para aí o triplo do número de pessoas que tinha estado nos outros dias. Sendo que, nessa noite, estariam umas duas mil (se tantas!) lá, não percebo como a organização falou em 40 mil pessoas nos três dias.

 

 

Portanto, vamos a conclusões: os senhores das organizações dos festivais têm - fica provado - é grandes problemas a matemática. Não calculam bem os dias, o número de artistas, as horas, os preços dos bilhetes (que chegaram a estar a 100 Euros!) e o número de entradas. Talvez devessem primeiro ler umas quantas coisas, fazer umas valentes horas de estágio e só depois ficar responsáveis pela organização do que quer que seja. Acredito que todos ficaríamos a ganhar com isso. Inclusive respeito.

 

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Instagramem-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Bloglovem'me