Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

27 de Maio, 2015

Fornecedores: os meus quatro grandes stresses do casamento.

Joana

1º - Local do Copo d'água 

O nosso grande stress inicial. Detestávamos quase tudo o que víamos - e nem estou a falar da parte dos custos. Tudo muito piroso, muito cor de rosa, muito "organzó-e-tuló-dependente", muito parolo, cheio de camilhas nas mesas e cadeiras, um horror. A primeira que decidimos visitar foi logo a decisão certa. Ou tivemos sorte, ou o nosso "faro" para a deteção da parolice está muito apurado. Ficámos muito contentes - e descansados - com a nossa decisão.

 

2º - Fotografias

Provavelmente, o meu maior receio na fase inicial de contratação de fornecedores. Tudo o que eu receava que ainda se fizesse, ainda se faz, de facto. Coisas muito pirosas (eu tenho uma aversão crónica à piroseira, acho que já deu para entender), fotografias do estilo de há quarenta anos, fotógrafos ditadores, equipas de fotografia e vídeo em todos os recantos e álbuns horrendos de tão "trabalhados" que são e, sobretudo, noivos... muitos noivos a admirar este tipo de trabalho. Dois de que gostámos levar-nos-iam todo o dinheiro e, provavelmente, algumas partes do nosso corpo para nos fazerem o serviço. À terceira tentativa, encontrámos exatamente aquilo que procurávamos. Não queremos precipitar-nos, mas achamos mesmo que foi mesmo uma boa aposta.

 

3º - Flores

Este ficou hoje resolvido (Graças a todos os anjinhos e santos!). Mais um dos meus receios tratado e, mais uma vez, uma primeira escolha. Tudo o que vejo em termos de flores me assusta pelos valores que cobram, que são uma estupidez tamanha, e - claro! - pela tendência para tudo seguir uma certa linha pirosa, que nem sequer imagino fazer parte do nosso dia. Brilhinhos, organzas, pedras e nhónhós que tais são coisas para me fazer revirar os olhos. Simplicidade e sensatez eram as duas únicas coisas que pedia. Andei a pesquisar na net, ler fóruns (o que se desaprende nestes fóruns!) e ver muitas opiniões e nenhuma me agradava. Fui a uma perto de casa, que sempre me transmitiu uma ideia positiva, apesar de nunca lá ter entrado até hoje, e fiquei fã. Expliquei como ia ser o casamento, tracei um breve perfil das nossas personalidades e do que queríamos os dois e, sobretudo, reforcei tudo o que não queríamos. A florista, simpática e disponível, mostrou logo um exemplo certeiro, mediante as características que lhe dei e conquistou-me nesse momento. Depois disse o valor e eu sorri de orelha a orelha - pagarei, efetivamente, o preço justo pelos arranjos e não o preço correspondente à compra de três cavalos de raça lusitana. Fiquei muito feliz!

 

4º - Cabelos

Eis a questão que mais me mói neste momento - os cabelos. Não sei o que quero, como quero e quem eu quero para me fazer o penteado. Estou dividida, muito dividida. A isto junta-se o facto de haver muita gente que gosta de explorar - e, fazendo isso comigo, levam de imediato uma resposta que nem sonham - e com muita tendência para os géis, purpurinas, acessórios que parecem bichos na cabeça, penteados que parecem monumentos e coisas diversas com as quais não me identifico minimamente. Já tenho uma referência no Porto, mas tenho de pensar bem - ainda é longe e no dia tenho de ter tudo à mão, que a cerimónia é de manhã e eu pretendo acordar bonita e fresca e não com olheiras que pareçam dois maracujás (apesar de ter uma boa maquilhadora já a fazer parte da minha equipa de intervenção do dia). Esta é complicada, mas vou ver se trato disto o quanto antes. Tenho bastantes mais preocupações, mas esta está aqui atravessada, confesso.

 

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.