Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

15 de Janeiro, 2015

Jantar, mamas e jovens confusas.

Joana
Acho que escolhi um título bem apelativo para vos dar vontade de continuar a ler este post, não? :)

Outro dia, durante o nosso jantar, ligámos a televisão na TVI (má ideia) e estava a dar o Secret Story, Casa dos Segredos, Desafio Final ou lá o que é aquilo. Estávamos apenas com aquilo como barulho de fundo (e ó se é barulho!) e a conversar tranquilamente sobre o nosso dia. Durante um silêncio nosso, ouviu-se nesse tal fundo: "Queres mesmo falar de mamas?". Olhámos os dois para a televisão e estava a haver uma das 3679 "guerras" verbais daqueles magníficos seres enjaulados e o tema era, precisamente, mamas. Estivemos a tentar perceber do que se tratava, mas só ouvíamos a palavra "mamas". Uma dizia que tinha posto mamas e a outra foi, logo a seguir, pôr mamas, por imitação (dá para pôr mamas por imitação? Como é isso?). Em resposta, a outra dizia que ela teve a consulta primeiro, por isso ela é que tinha sido a poineira na ideia de pôr mamas. A "amiga" disse que as mamas dela estavam bem melhores que as mamas da outra, que ficaram todas caídas. E disse que parecia uma "porca" na gala de domingo (mas não parecem todas? Estou confusa.). A outra disse que, por causa das suas mamas caídas, todos os homens olhavam para ela. A primeira riposta e diz que as mamas dela lhe valeram trabalhos (imaginamos logo que trabalhos) e um namorado. A outra diz que as mamas dela já lhe valeram trabalho e mais do que um namorado (Orgulho, hein?). E a coisa continuou até um ponto em que eu e o J. nos questionámos se estávamos a ouvir bem ou se estávamos, simplesmente, muito cansados. Aparentemente, aquilo aconteceu mesmo.

Eu podia dizer tanto sobre isto, mas acho que é escusado. Tudo o que disser, será de menos para poder avaliar tamanha intelectualidade. Só vos digo isto, meus amigos leitores: anda meio mundo a debater guerras, religiões, culturas e afins e, afinal, há um assunto desta magnitude ali, mesmo à mão de semear, numa TVI perto de nós. Shame on us!

(Se quiserem ver, está aqui. Mas pensem bem antes.)


5 comentários

Comentar post