Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

30 de Agosto, 2013

Nós devemos ser muito estranhos.

Joana
No ano passado tivemos a felicidade - e a oportunidade - de poder fazer umas férias ao nosso gosto: na Natureza, sem confusões, para locais nada turísticos e a descobrir recantos que, se planeados de antemão tendo em conta disponibilidade de hotéis e não propriamente o que interessa, nunca teríamos descoberto.

A nossa opção foi o nordeste transmontano e o percurso do Douro Internacional pela raia. Foram umas férias fantásticas. Apanhámos um calor quase insuportável em alguns dias (e acreditem que se vos digo isto, sendo eu uma friorenta crónica, é porque estava mesmo quente!), mas tivemos umas férias para não mais esquecer.

O nosso percurso foi todo "desenhado" por nós, à medida que andávamos; só tínhamos três dormidas garantidas em locais diferentes e só as reservámos porque a altura em que fomos coincidia com muitas festas naquela região, o que nos poderia impedir de conseguir arranjar boa dormida (e barata). As nossas opções recaíram sobre locais recuperados e/ou adaptados, como antigos solares quase desertos em aldeias perdidas e com uma qualidade e preço difíceis de imaginar (já para não falar na simpatia e hospitalidade das pessoas) e em opções baratas e saudáveis em termos de refeições.
a
Não houve luxo nenhum, não houve hotéis XPTO com SPA e piscininhas, não houve refeições diferentes e à grande e não houve qualquer gasto que tivéssemos considerado errado. Conhecemos aldeias, encontrámos miradouros que muitos nem sequer imaginam que existem, visitámos barragens e albufeiras de barragens num número consideravelmente superior ao normal, estivemos com os meus queridos burros (eu, apaixonada por burros mirandeses me confesso!), partilhámos opiniões e experiências com quem nos acolheu, comemos bem e em conta e vimos paisagens que nunca ninguém nos roubará da memória; em troca tivemos umas férias inesquecíveis. E isto, para nós, é que são férias, meus senhores. Não somos como 90% das pessoas da nossa idade, bem sabemos, nem preferimos a cidade, os hotéis, as piscinas e as praia ao campo, no que se refere a escapadas de férias. Mas somos boas pessoas, a sério. :)

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.