Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

21 de Janeiro, 2016

O lado da blogosfera que me desanima.

Joana

É difícil (impossível?), nos dias de hoje, eu conseguir idealizar um dia normal sem ter de recorrer à internet. Fora a grande necessidade em termos de trabalho, também para as pequenas coisas do dia a dia recorro a ela com relativa normalidade. Não me considero dependente, mas é já uma ajuda essencial de que, podendo, prefiro não abdicar. No entanto, quando me sirvo da internet para relaxar ou pesquisar alguma coisa, quase sempre acabo em blogues - os pontos de vista pessoais interessam-me, regra geral, mais do que uma simples exposição objetiva de informações, talvez por isso. E tenho dado por mim, cada vez mais, a ter um comportamento semelhante: a rapidez com que entro nos blogues e os começo a ler é quase sempre inferior à velocidade a que saio deles e penso nunca mais voltar. 99% das vezes o motivo é o mesmo: a língua portuguesa maltratada. Ou saltam imediatamente à vista erros ortográficos, ou construções frásicas descabidas e nada revistas, ou vocabulário impróprio, ou formas de tratamento infantilizadas ou o mais que o valha. E questiono-me: as pessoas têm noção do que e de como escrevem? Os autoproclamados bloggers sentem que têm ali material que justifique terem um blogue? Os leitores do blogue serão todos assim também? Serei eu demasiado exigente?

Enfim, seja o que for, a verdade é que eu não sigo assim tantos blogues por acaso. Só gosto de ler coisas bem escritas e que revelem cuidado e gosto. Os conteúdos podem ser mais ou menos interessantes, mais triviais ou complexos, mas, sabendo eu de antemão com o que contar e conhecendo minimamente o perfil de quem ali escreve, é difícil que deixe de seguir quem sempre levou a coisa com os padrões de exigência mais ou menos semelhantes aos meus.

Contudo, a maior das questões manter-se-á sempre: Por que carga de água são esses blogues fracos em quase todos os aspetos os que mais visibilidade / sucesso / leitores / ... têm? O que acham vocês disto?

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Joana

    25.01.16

    Concordo, Ana Brites! Acho que a última frase do teu comentário resume tudo: são limitações que as pessoas criam a elas mesmas, o que as faz crer de que vão no caminho certo. Quero acreditar que haverá muitos que, como eu, prezam a língua portuguesa e o seu correto emprego e espero que estejas errada, quando te referes à dificuldade em reverter a situação!... E sim, concordo plenamente quando dizes que as pessoas escrevem consoante aquilo que sabem que os outros querem ler, e não de acordo com o que elas mesmas querem falar... Esperemos por dias melhores... Obrigada pela visita e pelo comentário!
  • Comentar:

    Mais

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.