Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

27 de Junho, 2012

Para uns, isto é sexy. Para mim, é repugnante.

Joana
Outro dia, andava eu pelas lojas de um centro comercial e vejo uma das cenas que mais me repugna. Um homem a roçar-se numa mulher, naquela de "não aguento muito mais tempo, era já aqui e agora" e ela a rir-se num sentido provocador e a dar aquela de disponível para qualquer taradice, mas a querer tentar parecer difícil aos olhos dos outros. Acrescente-se à história que ele era um cinquentão português, típico homem de negócios com dinheiro e que ela era uma brasileira tipo mulata, toda jeitosa e com um pedacinho de pano a servir de vestido, que lhe acabava exatamente abaixo das nádegas (não é ser má língua, mas aquilo só seria tecido suficiente para um top cai cai de qualquer mulher razoável). Portanto, temos a fome e a vontade de comer. É claro que a rapariga queria o seu "pagamento", por isso andava a escolher toda a roupa que queria e a atirar para os braços dele e ele, qual cachorrinho, sempre ali, a aguentar a seca e os caprichos da rapariga. Foi só vê-la a entrar nos provadores e a chamar o "morzinhóóóóó", para saber o que a seguir se passou naquela cabine.

Eu vejo estas cenas e fico enojada. Imagino que tipo de homens são estes, que histórias inventam e vivem e que princípios (se os têm, sequer) consideram sensatos. Já as mulheres que se prestam a isto não me incomodam - elas sabem perfeitamente o que querem e que papel passam a cumprir. Mas os homens, esses homens... são, no mínimo, a metáfora do nojo para mim. Desprezíveis.

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.