Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

17 de Outubro, 2016

Quando ser adulto toma conta de ti.

Joana

Esta coisa de ser uma pessoa adulta não é tão bonita como pensaríamos, antes de cá chegar. Por muito organizados que sejamos - e, pelo menos por aqui, essa organização (que nem sempre é possível) é constantemente tentada - há sempre algo ou alguém que aparece, sem que se conte, e que compromete quase tudo o que pudesse estar planeado.

Ultimamente, sobretudo por bons motivos, as coisas têm-me/nos ocupado tanto tempo, que sinto que, por vezes, não me consigo organizar devidamente e atuar em todos os planos em que desejaria atuar. Nste momento, a parte recreativa da minha vida está posta um pouco de lado, em função das obrigações e, pasme-se!, não me afeta particularmente que assim seja. Pelo menos, por agora. [Olha eu, que sempre defendi que há que haver um equilíbrio entre tudo!] O retorno está a ser bom e, por enquanto, anima o suficiente para dar força para avançar. Não são ainda os novos projetos, mas são os de sempre que estão a ser limados e a começar a trazer uma compensação para a qual há muito trabalho. Estou cansada, mas ando feliz. Não tenho tanto tempo para o blog, porque me desorganizei - confesso! - nesta pequena parte da minha vida, que contempla o meu Verde Vermelho, a leitura, as viagens e algum do meu lado social. Não hibernei em modo "bicho do mato", apenas estou a concentrar o foco num objetivo mais direto. Estou por cá. Vou tendo ideias para escrever, mas falta-me algum tempo. Mas isto vai ser coisa para se curar num instante. A minha consciência pesa quando falho este meu adorado canto e as pessoas que me seguem e que, por serem de extremo bom gosto, não me falham! :) E vá lá, perdoem aqui a adulta, que nem sempre vê tudo com a alegria e leveza que deveria. Ela, no fundo, no fundo, não é má rapariga.