Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

28 de Outubro, 2014

Se as coisas funcionam bem, há que dizer bem.

Joana
Temos a mania, como portugueses, de dizer mal de tudo e de todos e esquecer de referir quando as coisas correm bem e, de facto, funcionam bem. E eu sempre achei isso mal (contra-senso?), de facto. Porque teremos tanta dificuldade de dizer bem, mas somos exímios a criticar? Deixo-vos com esta reflexão.

Entretanto, cá vai um momento a "dizer bem".

Na passada sexta feira tinha uma consulta marcada no Centro de Saúde e- claro! - foi greve dos funcionários administrativos nesse dia. Uma nova marcação ficaria lá para Março do próximo ano e eu não ia estar à espera quase meio ano apenas para saber o resultado de uns exames. Vai daí, e enquanto todas as pessoas andavam tipo "baratas tontas" dentro de Centro de Saúde a resmungar, a criticar e a lamuriar-se (algumas com razão), aqui a Joana foi colocar-se estrategicamente no lugar de passagem obrigatória para todos os médicos - a máquina de "picar o ponto". Lá apareceu a minha médica, lá lhe perguntei eu como fazer, e lá me disse ela simpaticamente que naquele dia não me poderia atender porque não tinha o sistema informático ativo, mas que o faria na terça feira, bastando para isso que eu somente aparecesse a uma dada hora. Sem marcar nada? - perguntam vocês. Sim, sem marcar nada. - respondo eu.

Andei o fim de semana e o dia de ontem a achar que a médica não se ia lembrar de mim, mas lá fui hoje ao Centro de Saúde, bem antes da hora marcada. A médica chega, cumprimenta-me e, passados uns minutos, chama-me pelo nome próprio (relembro que ela não tinha nenhuma "entrada" minha no sistema, nem me conhece assim há muito tempo) e vê-me exatamente à hora que me disse que me iria atender. Isto deixou-me muito bem impressionada, digo-vos. Eu nunca tenho expectativas muito altas no que se refere a serviços públicos de saúde, e, apesar de já ter sido algumas vezes muito mal atendida, muitas mais vezes fui atendida de forma muito profissional, acessível e simpática.
Eu gosto muito da minha médica de família e estas pequenas coisas contribuem muito para isso. Não é uma pessoa sorridente, não fala muito, não se destaca por nada de especial, mas é extremamente profissional, correta e cuidadosa e isso faz mesmo a diferença.

Quando alguém se queixa do seu Centro de Saúde e do seu médico de família, eu tendo sempre a reconhecer que sou uma sortuda. E agradeço muito por isso.