Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

Verde Vermelho

Podia ser um blog sobre Portugal. Podia ser um blog sobre mim. Podia ser um blog sobre coisas boas e más. Podia ser um blog humorístico. Podia ser um blog a tentar ser humorístico. Podia ser um blog sobre qualquer coisa. Pois podia.

28 de Abril, 2011

"Vamos patrulhar ali a Pasteleira ou vamos estragar o dia a uns quantos trabalhadores honestos, que estão a minutos de entrar ao serviço?"

Joana
 
Eu sempre me dei bem com a Polícia. Nunca me senti intimidada e, apesar de reconhecer que faz muito menos do que deveria, e que se dedica erradamente em exagero a atividades pacíficas em que mostra a sua autoridade em vez de a controlos apertados em ambientes sociais problemáticos e em que tudo acontece às claras, de onde foge a sete pés, sempre a considerei uma instituição séria e merecedora de respeito. Até hoje. Eu já por mim tento abstrair-me de tudo o que a Polícia não faz e de tudo o que se pela de medo em fazer. Mas perceber que fazem um uso absolutamente errado, ridículo e ofensivo da sua posição de autoridade é uma desilusão e fez-me desacreditar em segundos na entidade de segurança. 
Hoje fui maltratada por um agente, que me gritou enraivecido sem razão, que me chamou "estúpida", que me mandou para o "ca****o" e que me ameaçou de me fazer pagar 500 Euros por desrespeito à autoridade, simplesmente porque deixei o carro descair 5cm enquanto falava comigo e eu pedia desculpa. Eu, que nunca ultrapasso limites, que sou uma condutora consciente e que nunca dei pretexto para o que quer que fosse. Estive a milímetros de ser multada em 500€ e com o bónus de ganhar um cadastro todo pomposo de "desrespeito à autoridade", por ter parado ao sinal e por ter deixado descair o carro. 
Sim, Sr. Agente, eu estava mesmo a preparar-me para me por em fuga. Sim, mesmo ali à sua frente e à dos seus quatro colegas ávidos de multas. E sim, eu sou mesmo estúpida por ainda acreditar que as instituições públicas zelam pelos meus interesses.